sábado, 6 de novembro de 2010

FILME: NADA É PARA SEMPRE

"QUANDO AS MEMÓRIAS NARRAM EXPERIÊNCIAS"

As memórias individuais constroem imagens que ultrapassam o individual, sua subjetividade perpassa pelo coletivo. O filme 'Nada é Para Sempre' dirigido pelo cineasta Robert Redford, que fez uma adaptação baseada em um livro autobiográfico de Norman Maclean, é um belo exemplo disso.

O coletivo é representado quando, Norman vai trabalhar em uma reserva florestal, porque os homens que estavam ali antes, tinham ido para a 1ª Guerra Mundial; em outra cena, Norman fala que pai de sua namorada está falindo, embora seja dono da única venda/mercado da localidade, essa era uma evidência de que a queda da bolsa de valores os afetavam, assim como afetou o mundo todo; ambientado no início do século XX, emMissoula, Montana, o fato da índia namorada do irmão de Norman, Paul, é uma demonstração do massacre aos índios no território norte americano. São exemplos de que o coletivo altera o individual, embora apareça de forma sutil na narrativa.

O filme proporciona um mergulho diegético, ou seja, leva o expectador a se perder naquilo que ver, de tal modo que ele não se envolve na História coletiva, que entrelaça com a história de vida representada na trama.

Nessa obra de arte, nada sobra, nada falta! Ao narrar suas memórias Norman evoca o passado, aquilo que foi mais significativo, ou seja, suas experiências. Ao escrever memórias, embora tenha sido vivida pelo próprio autor, ela nunca é real, é uma interpretação do passado, que ao ser vivenciado era só sentimento, o tempo racionaliza os acontecimentos.

Não é em vão que ganhou o Óscar de melhor fotografia. Os ângulos são perfeitos e o cenário ajuda, muitas cenas são filmada em plano aperto, as quais exploram bastante a beleza natural onde a família Maclean pescavam constantemente.

NADA É PARA SEMPRE. Título original: A river through it. Direção: Robert Redford. EUA: Columbia Pictures, 1992.

Um comentário:

Anônimo disse...

NOVO OLHAR SOBRE A MATEMÁTICA, Jornal Beira do Rio, UFPA, Abril 2011,
www.jornalbeiradorio.ufpa.br/novo/index.php/2011/124-edicao-93--abril/1189-novo-olhar-sobre-a-matematica

MÁRIO SERRA - ENGENHEIRO, MATEMÁTICO E AMAZÔNIDA, Jornal Beira do Rio, UFPA, Ano XXVIII Nº 120. Agosto e Setembro de 2014,
http://www.jornalbeiradorio.ufpa.br/novo/index.php/2014/152-2014-08-01-17-25-17/1618-2014-08-04-14-34-28

RENATO PINHEIRO CONDURÚ (Belém-Pa, 25/08/1926 - 23/06/1974), ENGENHEIRO-MATEMÁTICO PARAENSE: INDO DO GUAMÁ ALÉM DO VAL DE CÃES ( solicite por e-mail: jbn@ufpa.br)

ALGUMAS MULHERES DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA E QUESTÃO DE GÊNERO EM C & T.
http://sitiodascorujas.blogspot.com.br/2013/06/mulheres-na-matematica.html

CONSTANTINO MENEZES DE BARROS I - MATEMÁTICO QUE LIGA O PARÁ/BR AOS MAIORES CENTROS DO MUNDO E COMPARÁVEL AOS GRANDES ÍCONES DA HISTÓRIA DA MATEMÁTICA (II a V não publicados, disponível por e-mail), (Óbidos-Pa, 19/08/1931, Rio de Janeiro-RJ, 06/03/1983), Ex-Docente UFF e UFRJ,
www.chupaosso.com.br/index.php/obidos/educacao/2149-vida-e-obra-de-constantino-menezes-de-barros

PROFESSORA SANTANA: Candidata a Melhor Docente do Ensino Básico Paraense, Blog Chupa Osso, 23 Junho 2013, www.chupaosso.com.br/index.php/obidos/educacao/2453-proessora-santana-candidata-a-melhor-docente-do-ensino-basico-paraense

SABER MATEMÁTICO E CULTURA INDÍGENA, blogue da AICL, 20 de Setembro de 2011,
http://coloquioslusofonia.blogspot.com.br/2011/09/saber-matematico-e-cultura-indigena.html

PAIRÉ CAMETAENSE: UMA BELA OBRA EM MATEMÁTICA E ENGENHARIA (não publicado, disponível por e-mail: jbn@ufpa.br)

CONHEÇA MARIA LAURA MOUZINHO LEITE LOPES, UMA DAS PRIMEIRAS DOUTORAS EM MATEMÁTICA DO BRASIL!,
http://encontrodejovenscientistas.com/2015/02/02/conheca-maria-laura-mouzinho-leite-lopes-uma-das-primeiras-doutoras-em-matematica-do-brasil/

NASCIMENTO, J.B., GOMES, S.C. L., MAGNO, C. S. E MOREIRA, A. M. S. , CICLOIDE E BRAQUISTÓCRONA, www.sobralmatematica.org/preprints/preprint_2015_01.pdf, acesso fev/15